Refreshing

Hello! I am Daniela Labra, Professor Doctor in Contemporary arts and curator. I launched artesquema.com in 2004 and today this is a dormant archive in performance and contemporary visual arts. Actually, with so many changes in the internet and social media, feeding a Blog just take much time and this one was hibernating.

To refresh it,  I would like to share a selection of exhibitions curated between 2006-2021, in my new portfolio.  Below there are also links to recent texts in PDF. And a link to visit ZAIT, my platform for contemporary art studies founded last year.

Please leave a message if you want to contact me. Thank you!

Daniela Labra Curatorial Portfolio resumed 2021

Recent Texts

Processual and Transcultural: the 34th São Paulo Biennial and the 11th Berlin Bienale. On Curating 45, Sept. 2020

Processual_and_Transcultural_The_11th_Be

Performance arte, arquivos críticos e fósseis rebeldes. Revista do program de pós-graduação em ciências da Informação/ Museologia. UnB, Brasilia.  Nov. 2020.

Performance e arquivos críticos Uni Brasiliapdf

Other texts https://ufrj.academia.edu/DanielaLabra?from_navbar=true

Current Educational Project (Founder)  ZAIT Plataforma de estudos em arte contemporânea IG @zait_arts

 

Catálogo/ Catalogue! Festival Performance Arte Brasil, MAM Rio, 2011

Com muita alegria disponibilizamos o PDF do catálogo deste festival histórico ocorrido no Rio de Janeiro em 2011 , com participantes de todas as regiões do país.

With great joy, we make available the PDF of this historic festival held in Rio de Janeiro in 2011, with participants from all regions of the country.

Curadoria-geral de Daniela Labra; Produção AUTOMATICA

Download   festival_performance_artebrasil

ZAIT_ Plataforma de estudos em arte contemporânea

ZAIT é uma plataforma dedicada ao conhecimento geral e aprofundamento de questões da teoria e prática de arte contemporânea em seus múltiplos formatos. Oferece cursos de temas artísticos com embasamento histórico, estético, conceitual, sócio-político, filosófico e outros. Nossos cursos têm abordagens transnacionais, interdisciplinares e atuais.
Coordenação de Daniela Labra.

ZAIT _Online platform for contemporary art studies
ZAIT is a platform dedicated to the general knowledge and deepening of issues of contemporary art theory and practice in its multiple formats. It offers courses on artistic themes with historical, aesthetic, conceptual, socio-political, philosophical and other backgrounds. Our courses have transnational, interdisciplinary and current approaches. Currently in Portuguese only. Coordinated by Daniela Labra

 

 

Instagram  @zait_art
Visite  www.zait.art

This is the old blog-portfolio-ongoing project of art curator Daniela Labra.

Daniel Senise. Antes da Palavra/ Before the word. Exhibit installing at Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre, 2019.

Hi. This is the old blog-portfolio-ongoing project of art curator and critique Daniela Labra. This space started 15 years ago and now is time to move forward.

At the moment I share my recent works which are online but also there are plenty of disordered material in this website if you have time to surf. Part of it are in Portuguese only.

My short Bio is updated at the section sobre/about

Thank you.

XXX

Recent texts

Da Latin American Art à Arte do Sul Planetário
(Um recorte de exposições coletivas que ajuda a compreender a historiografia de uma modernidade escrita nas relações neocoloniais e descoloniais). Revista Select 45, Dez. 2019

From Latin American Art to Planetary South Art
(A cutout of group exhibitions that helps to understand the historiography of a modernity written in neo-colonial and descolonial relations). Select Magazine 45, Dec. 2019

https://www.select.art.br/da-latin-american-art-a-arte-do-sul-planetario/

Coletivos Brasil-Berlin. Revista Select 43. São Paulo, Julho de 2019
https://www.select.art.br/coletivos-berlim-br-se-poda-a-gente-brota/

Éder Oliveira: um homem Amazônico/An Amazonian man. Revista ZUM of contemporary visual art n.15. São Paulo, Jan.2019.
English version available at
https://revistazum.com.br/en/revista-zum-15/um-homem-amazonico/

That Naked Body: that intimate stranger. Revista Jacarandá n.6, Special Edition: Brazilian Art is under attack, 2018, p. 32
Download
http://www.jacarandamagazine.com/?page_id=65

Another historical, critical & curatorial texts:
https://ufrj.academia.edu/DanielaLabra

Recent lecture
Talk with the artist Caio Reisewitz and book launch: Altamira. Artphilein Foundation. Milano, 2019.
At Friends with books Art Fair. Hamburger Bahnhof, Berlin.

Recent shows in Brasil

Daniel Senise. Todos os Santos. Instituto Tomie Ohtake, Ṣo Paulo. 27.08 Р3.11.2019
https://www.institutotomieohtake.org.br/exposicoes/interna/daniel-senise-todos-os-santos

Daniel Senise. Antes da Palavra. Funda̤̣o Iber̻ Camargo, Porto Alegre. 3.8 Р30.9.2019
http://iberecamargo.org.br/exposicao/daniel-senise-antes-da-palavra/

Andressa Cantergiani. Corva. Galeria Mamute, Porto Alegre.  April-June 2019
https://www.galeriamamute.com.br/corva

Actual collaborations

SESC São Paulo https://www.sescsp.org.br/

Revista Select, São Paulo
https://www.select.art.br/

Berlin based platform for socially conscious artistic practices & activist positions from Latin America
insurgencias.net

Revista Concinnitas. Instituto de Artes da UERJ. Rio de Janeiro
https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/concinnitas

Lecturer at nodecenter.net
https://nodecenter.net/lecturers

Art & Politics
https://nodecenter.net/course/art-and-politics

Curating Performance Art
https://nodecenter.net/course/curating-performance-art

Éder Oliveira, um Homem Amazônico (Éder Oliveira, an Amazonian Man)

REVISTA ZUM 15
Um homem amazônico
Éder Oliveira & Daniela Labra
Publicado em: 03 de janeiro de 2019

Um homem amazônico

Éder Oliveira (1983) é artista paraense. Recebeu o prêmio de arte Lingener, da Alemanha, em 2016, e o prêmio Pipa de Voto Popular em 2017.

Daniela Labra (1974) é curadora de artes visuais e crítica de arte.

Brazilian Art under Attack – Jacarandá #6

Jacarandá is a portuguese-english arts magazine published in Rio de Janeiro, Brazil. Its last number was edited by critic and curator Luisa Duarte and journalist Susana  Velasco. They invited different names from brazilian art milieu to present articles on the recent censorship and conservativism movement which have had attacked the contemporary arts in country since 2017. This is an actual discussion and urgent topic. Brazil is under attack in and outside the art system – and we must fight against this obscure hypocrisy.

With texts by: Suely Rolnik, Luiz Camillo Osório, Clarissa Diniz, Daniela Labra, Moacir dos Anjos, Frederico Coelho and others.

PDF here

Artigo Revista Arte & Ensaios 33, 2017

INTERNACIONALIZAÇÃO DA ARTE BRASILEIRA A PARTIR DOS ANOS 80 E A CONSTRUÇÃO DE HÉLIO OITICICA E LYGIA CLARK COMO REFERENCIAIS CANÔNICOS DESSA PRODUÇÃO ARTÍSTICA.

In: Revista Arte & Ensaios 33, 2017

Divulgação/Jornal O Globo

https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/11081/8690

 

Frestas Trienal 2017: Entre pós-verdades e acontecimentos

Frestas Trienal de Artes do SESC: Entre pós-verdades e acontecimentos/ Frestas Triennial: Between post-truths and events.

SESC Sorocaba, Ṣo Paulo, Brasil. De 12.8 Р3.12.2017

Curadoria geral – Daniela Labra
Curador assistente – Yudi Rafael
Curadoria educativa – Fabio Tremonte
Curadoria editorial – Ana Maria Maia e Julia Ayerbe

:::::::::::::::::::::::::::::

Artistas: Teresa Margolles, Maria Thereza Alves, Andre Komatsu, Raul Mourão, On Kawara, Marco Lulic, Miro Spinelli, Guerrilla Girls, Daniel Senise, Hector Zamora, Reynier Leyva Novo, Georges Rousse, Celina Portella, Rafael RG, Gervane de Paula, Sergio Zevallos, Rafael Alonso, Hito Steyerl, Sandra Monterroso, Gustavo Speridião, Wanda Pimentel, Francesca Woodman, Daria Martin, Letícia Ramos, Marcius Galan, Dias & Riedweg, NUNCA, Panmela Castro, Daniel Escobar, Daniel Lie, Yvon Chabrowski e +

Frestas Trienal 2017: Entre pós-verdades e acontecimentos

A arte fura.

Esta edição de Frestas associa o nome do evento à noção de interstício: um espaço-entre cheio de sensibilidade e potência criativa transformadora, onde a ambiguidade e a indefinição de conceitos, formas e modelos é explorada de modo poético e crítico. Enquanto o existir nas cidades parece se reduzir a dígitos numéricos em cenários homogêneos de shoppings, conglomerados e condomínios, apostamos aqui na máxima “criar é resistir”, compreendendo a prática da arte e sua fruição como singulares vias propositivas libertadoras do contexto de exaltação da produtividade, competitividade, vigilância e espetacularização da vida.

Considerando que a natureza regrada e acadêmica da arte ruiu há tempos, refletimos sobre a impossibilidade de definir Verdade na obra contemporânea, e também discutimos as narrativas políticas sustentadas por memes e populismos midiáticos amparados em discursos morais e dogmáticos, que ganham força e constituem parte do contexto que a própria arte espelha e reage.

O título da mostra veio antes do termo pós-verdade ser indicado como o mais comentado na internet em 2016. O termo não é novo e seu germe já aparece em Verdade e Política (1967), de Hannah Arendt. Recentemente, ele se tornou protagonista no comentário político internacional, impulsionado pelo afã, de grandes publicações jornalísticas em disseminar, pela rede, opiniões como fatos consistentes que rapidamente ganham status de verdades.

Já a ideia de Acontecimento refere-se à natureza de uma Trienal, e a sua definição na antropologia e filosofia: Acontecimentos, sempre temidos e esperados, como um evento climático, militar ou político, que trazem o risco de um corte irreversível com o passado, marcando transformações profundas no curso histórico e social de comunidades.

Participam da mostra artistas de diferentes nacionalidades, gerações e linguagens, cujas obras trazem questões como ambiguidades formais; transdisciplinaridade; temporalidade; performatividade; gênero e sexualidade; crítica social e artisticidade. Mais da metade dos projetos são comissionados e inéditos, e ocuparão o edifício da Unidade além de vias públicas, outras instituições, lojas e ruínas históricas, criando circuitos de experiências estéticas instigantes entre o SESC e a cidade.

Daniela Labra

Daniel Lie. Passa Logo. Intervenção na arquitetura
Vista geral com instalação de Raul Mourão.
Vista geral com instalação de Sandra Monterroso e fotografia de Edson Barrus.
Vista geral com obras de Sandra Monterroso, Raynier Leiva Novo e Rafael Alonso.
Detalhe de obra de Georges Rousse.

Todas as fotos| all pictures: Matheus José Maria

Das Virgens em Cardumes e da Cor das Auras

Das Virgens em Cardumes e da Cor das Auras (On Virgins in shoal and the Colour of the Auras) – Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea, Rio de Janeiro.  De 4.06.2016  a  31.01. 2017.

Curadoria: Daniela Labra

http://museubispodorosario.com/

unnamed (2)

This exhibition was specially designed for the Museum Bispo do Rosário of Contemporary Art, located in the former psychiatric asylum Juliano Moreira Colony, Rio de Janeiro, and it brings together works by renowned Brazilian artists that investigates a performance or the performative, for an unusual and vigorous dialogue with the set of the work of Arthur Bispo do Rosario.
Virgins_Folder in English PDF

Esta exposição foi pensada especialmente para o Museu Bispo do Rosário de Arte Contemporânea, localizado na Colônia Juliano Moreira, Rio de Janeiro, e reúne obras de artistas brasileiros de reconhecida atuação que investigam a performance ou o performativo, para um diálogo incomum e vigoroso com o conjunto da obra de Arthur Bispo do Rosário. Foram selecionadas peças da coleção da instituição que fazem refletir sobre o lado místico, sacerdotal e performático de um homem que acreditou ter se tornado mensageiro da humanidade, e tomou como missão inventariar o mundo antes do seu Fim. Peças como o Manto da Apresentação, estandartes, faixas de Miss e indumentárias bordadas e colecionadas por Bispo, são apresentadas ao lado de fotografias, vídeos e instalações que dão novas leituras sensíveis ao legado desse artista fora dos padrões do sistema da arte. O título evoca a imagem fantástica das “virgens em cardumes”, anunciada em um de seus bordados confeccionados no asilo psiquiátrico, enquanto que “da cor das auras” remete ao tempo em que o interno interpelava a cor da sua aura aos visitantes da cela/ateliê que habitou, no Pavilhão 10 da Colônia Juliano Moreira.

Das Virgens em Cardumes e da Cor das Auras tem uma programação viva e experimental. Além da mostra, diferentes espaços do Museu e da Colônia receberão, por quatro meses, ações, workshops e residências artísticas. Convocando a obra de Bispo, o projeto se coloca como um desdobramento poético e crítico das suas visões de mundo, engendradas no meio em que viveu por 50 anos, de modo intermitente, onde era regra o confinamento de corpos e a anulação de subjetividades consideradas antissociais. Mais do que obras acabadas, os artistas convidados aqui envolvem visitantes do museu, pacientes psiquiátricos, moradores da região, estudantes e demais público interessado em arte e performance contemporânea, em processos de reconhecimento da arte na vida e vice-versa, promovendo atividades e experiências estéticas que podem ser tão instigantes quanto transformadoras.

IMG_3308
“Azul, azul, azul e azul”. Caminhada com casaco bordado por Bispo do Rosário. Performance de Eleonora Fabião e colaboradores.
Caminhada com o Manto da Apresentação, de Bispo do Rosário. “Azul, Azul, Azul e Azul”. Performance de Eleonora Fabião e colaboradores.
“Azul, azul, azul e azul”. Caminhada com o Manto da Apresentação de Bispo do Rosário. Performance de Eleonora Fabião e colaboradores.
“Sincretismo Sincronizado”. Instalação sonora de Ricardo Siri.
“Sincretismo Sincronizado”. Instalação sonora de Ricardo Siri.
Performance de Laura Lima_Foto Wilton Montenegro
Vista geral da exposi̤̣o. Galeria 1 РT̩rreo