The Future Generation Art Prize

Atenção artistas sub-35!!!!

The Future Generation Art Prize established by the Victor Pinchuk Foundation is a worldwide contemporary art prize to discover, recognize and give long-term support to a future generation of artists. The Prize will be a major contribution to the open participation of younger artists in the dynamic cultural development of societies in global transition.

The Prize is an innovative new international award for artists up to 35 years of age, investing in the artistic development and new production of works. Awarded through a competition, judged by a distinguished jury, the Prize is founded on the idea of generosity, a network of outstanding patron artists and institutional partners, and a highly democratic application procedure.

Organized by the PinchukArtCentre, an exhibition of 20 shortlisted artists in October 2010 gives the opportunity to discover a future generation.

http://www.futuregenerationartprize.org/

Prêmio Interações Florestais 2010

Residência Artística Terra UNA

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Interações Florestais 2010 – Residência Artística Terra UNA . Nesta edição além dos espaços da Ecovila os artistas irão interagir com o Ponto de Cultura e Sustentabilidade em Liberdade MG.

Os artistas interessados em interagir com a floresta, com o ambiente rural, com a vivência de uma Ecovila, com a população local de Liberdade e com o desenvolvimento do trabalho de outros artistas estão convidados a se inscreverem em nossa convocatória para a residência de 2010.

15 artistas passarão por Terra UNA com suas idéias e suas potências criativas recebendo uma bolsa de 1500 Reais e um mês de estadia na Ecovila. 10 artistas serão selecionados em um processo autogestionário onde os próprios inscritos escolhem os premiados. Três artistas são convidados para acompanhar o processo de maneira critica, e dois artistas serão escolhidos por Terra UNA para representar a Ecovila e a rede de Pontos de Cultura.

O Prêmio Interações Florestais 2010 é o segundo prêmio de residência artística da Ecovila Terra UNA. Estamos felizes de poder contar mais uma vez com o patrocínio da FUNARTE/MINC para a realização deste trabalho que desloca a produção contemporânea em artes visuais para outros espaços do país. Fomentada em 2008 pelo Prêmio Conexão Artes Visuais FUNARTE/MINC/Petrobrás, a primeira edição do prêmio contou com mais de 150 artistas inscritos e levou 12 deles para realizarem seus trabalhos em Terra UNA. Com a consolidação do Ponto de Cultura e Sustentabilidade, gerido por Terra UNA em Liberdade, o projeto ganhou mais fôlego sendo um dos ganhadores do Prêmio Interações Estéticas 2010.

Que a pulsação da criação artística vibre pelos vales da Mantiqueira e encontre ecos nas idéias de sustentabilidade, ecologia e novos paradigmas para assentamentos humanos da Ecovila Terra UNA.

Terra UNA, novembro de 2009.

http://www.terrauna.org.br

[email protected]

Políticas da Arte – Diálogos da Arte

Políticas da Arte – Diálogos da Arte
MAM-RJ – Dias 3 e 4 de novembro
Local: Cinemateca do MAM
Organização: MAM-RJ/Azougue Editorial
Coordenação: Frederico Coelho e Sergio Cohn

Outubro de 1968: Rogério Duarte e Hélio Oiticica organizam no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro o encontro batizado de Cultura e Loucura. Na montagem da mesa para o debate sobre os limites entre arte e contra cultura, além dos organizadores, participam Caetano Veloso, Nuno Veloso e Luis Carlos Saldanha. A idéia de Rogério e Hélio era ter também Chacrinha e Glauber Rocha, mas não foi possível. Tempos depois, Antonio Manuel lançaria um curta-metragem com os principais trechos do debate.

Outubro de 2009: o incêndio no acervo do Projeto HO desencadeia no meio das artes visuais uma série de documentos, textos pessoais, emails, cartas abertas, testemunhos e manifestos sobre a questão dos acervos de artistas e instituições. O debate gira maciçamente ao redor das condições de preservação e manutenção, das políticas públicas e privadas de financiamento, da repercussão pública do incêndio em contraponto ao descaso diário em relação a outros acervos importantes que se deterioram em nosso cotidiano. Ao mesmo tempo, passa ao largo das mídias as propostas culturais que se encontravam em gestação em torno do Projeto HO, entre elas redes digitais de artistas e criação de espaços de disponibilização ao público das reservas técnicas dos artistas contemporâneos.

Se um encontro como o aqui proposto já se fazia necessário e urgente, ao constatarmos tal massa de opiniões no espaço virtual ou nas conversas privadas, agora se torna inadiável trazer o debate de volta ao espaço público.

Reivindicando a retomada do MAM-RJ como um espaço não só de exposição de obras, mas principalmente de exposição de ideais, questões, diálogos e conflitos, convocamos a todos os personagens do universo das artes visuais da cidade – artistas, críticos, jornalistas, galeristas, donos de acervos públicos e privados, compradores, produtores, público e pesquisadores – para participarem nos dias 3 e 4 de novembro do debate Políticas da Arte – Diálogos da Arte.

O objetivo do encontro é simples: romper com a idéia estática de um seminário acadêmico e estimular a participação pública na formulação de propostas para os problemas e soluções que todos podem trazer em suas colocações. A participação da platéia será tão ou mais importante do que a participação dos nomes nas mesas montadas para estimular o debate. O resultado do encontro será registrado e documentado num caderno de propostas, a ser publicado de maneira emergencial ainda esse ano pela Azougue Editorial.

Na terça-feira, dia 3, teremos duas mesas – uma na parte da manhã (11:00) e outra na parte da tarde(14:00) – com a participação dos coordenadores do evento (Frederico Coelho e Sergio Cohn) e de representantes de acervos (Cesar Oiticica Filho e João Vergara, com mediação da crítica Daniela Name). A intenção das duas mesas é fornecer mais elementos e informações para o debate com o público presente. Também será lançado nesse dia o projeto Rede Arte Brasil, uma rede digital de artes plásticas organizada pelo Projeto HO, com explicação pública de seus objetivos e metas.

Na quarta-feira, dia 4, a intenção é promover durante a tarde (das 14:00 às 18:00 horas) um balanço das conversas do dia anterior e uma convocatória geral para todos os interessados no debate sobre os temas propostos pelo encontro. Uma assembléia geral em que a participação de todos será fundamental para ampliarmos a capacidade de ressonância do evento. Os artistas e críticos Marcio Botner, Ernesto Neto, Felipe Scovino e o curador do MAM-RJ Luiz Camillo Osório, conduzirão o debate desse dia.

Políticas da Arte – Diálogos da Arte não é somente um encontro, não é somente um seminário e vai além do velho debate entre os mesmos. É uma convocação do MAM para que todos seus parceiros e colaboradores (seja o público e a sociedade, sejam os artistas e os que se relacionam com as artes) tenham novamente voz ativa na proposição e condução das políticas que atravessam o dia a dia das artes visuais contemporâneas.

Se no espaço virtual ficou provado nas últimas semanas que a demanda por conversas, por posições e por reivindicações é intensa, chegou a hora de nos encontrarmos face a face para refundarmos um novo marco crítico e um novo espaço de ação no Rio de Janeiro.

A hora é essa. Antes do próximo incêndio.
Esperamos a presença de todos,

Frederico Coelho e Sergio Cohn

Robert Morris em entrevista na TATE ETC.

SIMON GRANT: You have been variously described as a minimalist, performance artist, land artist, neo-Dada-ist, conceptual artist and expressionist’ Do these definitions mean anything to you?

ROBERT MORRIS: Nothing. Zero. What a list… I can’t help recalling here Nietzsche’s remark about constantly suffering for what things are called as opposed to what they are.

http://www.tate.org.uk/context-comment/articles/simon-grant-interviews-robert-morris