SÃO PAULO MON AMOUR convida

Prezado Público,

Levando em consideração que “a cidade favorece a arte, é a própria arte” (Lewis Munford), os artistas Ricardo Farias e Wagner Lucas construirão uma obra, dentro do gênero da performance e da vídeo-arte, que pretende discutir o lugar da arte hoje, ironicamente realizarão um deslocamento, movendo o público para um contexto onde se permitam
gozar da experiência com a cidade e não apenas com a obra em questão.

O evento que organizam se passará no Elevado Costa e Silva e nas dependências do edifício Estádio, especialmente na empena cega que dá face para a Avenida Pacaembu. Entre os elementos que compõem a obra,figura uma vernissagem, nos moldes de uma galeria, que ocorrerá ao mesmo tempo em que realizarão a performance na fachada em questão.

Assim sendo, convidamos a todos para um café da manhã que se passará a partir das 5h00 da madrugada, no dia 21 de abril de 2009, terça-feira,no elevado Costa e Silva logo acima do cruzamento com a Avenida Pacaembu, para partilharem conosco bons momentos ao raiar do dia e presenciarem a criação destes artistas.

A obra tem por destino a apresentação na exposição exposição intitulada “SÃO PAULO MON AMOUR”, que terá lugar em Paris no decorrerdo mês de Setembro de 2009 na “Maison des Métallos”, um importante estabelecimento cultural da cidade.

Cordialmente,

Sérgio Franco
Curador da Exposição São Paulo Mon Amour

site do evento: http://www.engodo.fr

Perguntas ao corpo hiperestimulado

Acaba de ser publicado no Idança.net.  Acesse o site para ler na íntegra.
Perguntas ao corpo hiperestimulado
por Flavia Meireles · 16/04/2009

Uma mulher se vê num espelho posicionado na prateleira do supermercado e começa um alongamento dos braços. A câmera mostra em seguida todos os consumidores do supermercado exercitando seus corpos numa ginástica grosseira. Do lado de fora do supermercado, vê-se uma pequena aglomeração de pessoas também exercitando seus corpos grosseira e individualmente e um casal se beija ao fundo do plano. Em certo momento, toca um telefone celular seguido de outros tantos que tocam e toda a cena imediatamente se interrompe, cedendo a esse apelo sonoro irresistível. As pessoas procuram e atendem seus celulares desligando-se daquele espaço através do pequeno dispositivo que as coloca, em tempo real, em conexão com outro lugar. Ouve-se uma música sacra que abafa a conversa dos celulares e que nos sinaliza, não sem ironia, a total reverência que submetemos a esse dispositivo.

É com esta “brincadeira” feita pelo cineasta Marcelo Masagão no filme 1,99 o supermercado que vende palavras que gostaria de abrir este artigo, que se quer mais um estranhamento do que uma clareza, acerca de algumas questões que o corpo, que chamarei de corpo hiperestimulado, experimenta na contemporaneidade.

(segue…)

The Watermill Center – Laboratory for Performance

The Watermill Center –
Laboratory for Performance
Fall & Spring Residencies
2009 – 2010
Call for Proposals

Application due date:
May 31, 2009
The Watermill Center
39 Watermill Towd Road
Water Mill, NY 11976 USA
+1 631 726 4628
[email protected]

Welcome

Watermill, a “laboratory for performance” that supports the development of experimental and cross-disciplinary artistic practices is pleased to announce a call for proposals for the Fall 2009- Spring 2010 Residencies.

Watermill invites emerging artists to submit ambitious proposals for the creation of collaborative works which critically investigate, challenge, and extend the existing norms of performance practice. Watermill also welcomes research proposals from established scholars. Watermill is actively engaged in raising its international profile and extending its network of associates and encourages proposals from artists based outside the US.

The Watermill Center uses Slideroom to gather proposals and work samples for its residency program.  All proposals must be submitted via our online system at watermillcenter.slideroom.com. There are no exceptions. Complete guidelines and site plans are available for viewing at right.

The Watermill Center was founded in 1992 by its Artistic Director Robert Wilson as an international, multi-disciplinary center for studies in the arts and humanities. For the past 16 years, the Watermill Center has been home to an International Summer Program led by Robert Wilson, focusing on new projects that he is developing in all areas of the arts. With the opening of its new building in 2006, the Center became a year-round performing arts laboratory for emerging artists. Expanded programs in the Spring and Fall include workshops and classes, artist residencies, conferences and lectures, and a variety of local and international educational partnership programs. Watermill collaborates with institutions such as Park Avenue Armory, Kampnagel Hamburg, CUNY Martin E. Segal Theater Center, Taipei Cultural Center, Chez Bushwick and Radialsystem Berlin.

The Center seamlessly combines performance and rehearsal sites with working and communal living spaces. Its flexible and multi-purpose interiors house informal performance halls, the Watermill Art Collection, a selection of Robert Wilson’s own furniture designs, an extensive reference library, kitchen facilities and dormitory. The Center is situated on six-acres of wooded and landscaped grounds.

As part of the Center’s outreach program, residents are required to conduct a public such as a master class, open rehearsal, or a workshop for schools or other local groups. Concurrent with the residencies, Watermill Center staff conduct tours of the facilities, grounds and collection, as well as educational programs for visiting students.

SELECTION
An International Selection Committee convenes in mid-July to review proposals. The Selection Committee includes prominent artists, scholars, and arts professionals. Proposals will be evaluated on the basis on the artistic quality of the submitted work samples as well as the quality and incisiveness of the proposal narrative.

Marina Abramovic, Performance Artist (Serbia)
Marie-Claude Beaud, Curator and Director of the Musée d’Art Modèrne Grand-Duc Jean (Luxemburg)
Jonathan Safran Foer, Writer (US)
Alanna Heiss, Founding Director, P.S. 1 (US)
Jürgen Kluge, Director, McKinsey and Company, Inc. (Germany)
Xavier Le Roy, Choreographer and Performer (France)
Albert Maysles, Film maker (US)
Michael Morris, Co-Director, Artngel, and Director, Cultural Industry (UK)
Gérard Mortier, General Manager of the Opéra de Paris (Belgium)
Ida Nicolaisen, Anthropologist and President of the United Nations Permanent Forum of Indigenous
Issues (Denmark)
John Rockwell, Journalist (US)
Christoph Schlingensief, Film Maker, Visual Artist and Theater and Opera Director (Germany)
Richard Sennett, Sociologist and Cultural Critic, New York University & London School of Economics (US)
Nike Wagner, Artistic Director, Kunstfest Weimar (Germany)

CONTACT INFORMATION
Sherry Dobbin
Watermill Program Director
+1 631 726 4628
[email protected]
http://www.watermillcenter.org/program/residencies.php

Yukihiro Taguchi

O artista japonês residente em Berlim desenvolve uma outra categoria de obras: são as instalações performáticas, onde artista e público interagem com a obra e entre eles. É aquilo que foi denominado como estética relacional, nos anos 90, mas com repaginação de século XXI. Ah, esses japonenes…

Yukihiro Taguchi. Über-performative Skizzen- (7pics) Performative installation and Sketches, 2009
Yukihiro Taguchi. Über-performative Skizzen- (7pics) Performative installation and Sketches, 2009

http://yukihirotaguchi.com

Performa 09 – 3ª edição da bienal de performance de NY

Bom carnaval!

PERFORMA 09
The Third Biennial of
New Visual Art Performance
New York City,
November 1-22, 2009

PERFORMA
100 West 23rd Street, 5th Floor
New York, NY 10011
+1 212 366 5700
[email protected]

http://www.performa-arts.org

PERFORMA 09 COMING TO NEW YORK CITY NOVEMBER 1-22, 2009

Performa 09, the third biennial of new visual art performance, will be held in New York City from November 1-22, 2009. The three-week city-wide festival will feature new Performa Commissions and an exciting program of performances, exhibitions, educational forums, film screenings, and radio and television broadcasts. Presented with a consortium of arts institutions and a network of public and private venues across the city, Performa 09 will showcase the work of approximately 100 artists in collaboration with over 25 curators — institutional and independent — in a lively, performance-driven “festival as think tank” that will be a catalyst for envisioning New York City as “the city of the Future”.

Performa 09 will mark the 100th anniversary of the publication of F.T. Marinetti’s “Futurist Manifesto” in 1909, which launched the most provocative and cross-disciplinary artistic movement of the twentieth century, bringing some of the radical propositions of the Futurists a century ago back to life in unexpected ways. Using the Futurist template of manifestos-for-the-future in all disciplines, Performa 09 will explore exciting new ideas in visual art, film, music, poetry, graphic design, dance, architecture, and urbanism. The city of New York itself will be featured as an evolving ignition of ideas, its streets, transportation, and airwaves providing a platform for public engagement and inspiration. Following the biennial, several Performa Commissions will tour to venues in Milan, Mexico City and Shanghai. The countdown to Performa 09 will begin with a special Futurist Banquet on February 20th — the date, one hundred years ago, of the publication of the original manifesto on the front page of Paris’s Le Figaro — featuring an inventive menu of recipes from Marinetti’s Futurist Cookbook (1932), live music, and performances celebrating this historic occasion.

CONTEMPORÃO

C O I S A S   A C O N T E C E N D O:

Contemporão Espaço de Peformance é uma entidade localizada em Florianópolis, perto da UFSC, focada no tema da performance das artes plásticas e seus desdobramentos.

O espaço tem como objetivo promover trabalhos de artistas plásticos considerando desde ações ao vivo, até possíveis prolongamentos dessa prática artística como fotografias, vídeos, ações participativas, entre outros.

O Contemporão, além de interagir com variados espaços e contextos, deseja apoiar uma produção experimental que aproveita os riscos dos processos. Assim sendo, o espaço pretende trabalhar o conceito de eventos efêmeros, bem como apoiar artistas cujos projetos apresentam um tipo de densidade poética desafiadora.

O Contemporão vai incentivar o debate cultural e a troca de idéias e informações através de cursos e de palestras sobre o tema da performance.

Contemporão Espaço de Performance

Rua Frederico Veras, 596, travessa 7

Pantanal, Florianóplis, SC

Tel: 48-99149920

Email: [email protected]

Coordenação:

Yiftah Peled

Elaine de Azevedo

A Performance, o presente e o futuro do jornalismo cultural no Rio de Janeiro

E o evento aconteceu. E foi um luxo. Performance Presente Futuro, no Oi Futuro, trouxe trabalhos incríveis, mostra de vídeos interessantes e 3 palestras que deram muito que pensar. Sim, eu fiz a curadoria e tenho uma visão parcial da coisa. Mas o retorno que tive do público foi esse: um evento com um recorte e produção excelentes.

O ponto alto foi a palestra da artista Orlan, no Brasil a convite nosso. Casa cheia, noite disputada.

Mas, se por  um lado o público compareceu vibrante, por outro a mídia impressa, ainda cara aos divulgadores institucionais, parecia ignorar que mais uma vez algo interessante sobre arte contemporânea estaria acontecendo no fim de semana na cidade da televisão.

Se Orlan foi nosso destaque, para os meios de comunicação locais era só uma extravagância metida a arte. Elevada à condição de ‘corpo estranho’, Orlan ganhou pequeno destaque na revista dominical do principal jornal da cidade. Na coluna “Sei lá, mil coisas…” de 24/08/2008 o diário O Globo estampou uma foto da artista e três perguntas/respostas superficiais. Naquele espaço, que comenta lançamentos comerciais, chacotas e bizarrices da semana, Orlan surgiu ao lado do sósia de Roberto Carlos e de uma nota sobre implantes de cílios. Sei lá, mil coisas…

Na semana do evento lá estava Orlan de novo no mesmo jornal, não no caderno de cultura, cujo editor não dá muita bola para as bobagens da arte contemporânea, mas no guia de programação do fim de semana. Que bom. Mas também que triste: o evento, cujo foco era a performance ao vivo e suas relações com a tecnologia, saiu com o título errado, ficando apenas “Presente Futuro”. E algumas apresentações, como as de Chelpa Ferro e Maurício Ianês, foram divulgadas como ‘vídeos’. Foi como se tivessem suprimido a palavra ‘dança’ de um evento de dança.

O preconceito da mídia carioca impressa com a arte contemporânea faz corar público, profissionais e instituições por que se percebe como ignorância assumida e pensada daqueles que deveriam estimular o exercício intelectual na sociedade. Após um ciclo de decadência, o Rio de Janeiro tem conseguido retomar uma agenda cultural ainda frágil mas já diversa e cosmopolita. Entretanto, o conservadorismo dos que editam o conteúdo dos veículos de comunicação impressos prefere a mesmice daquilo que é comercial.

Porém, talvez eles tenham suas razões: enquanto a fútil celebrity da vez implanta silicone bem-comportado sem alardear conceitos, ajudando a vender artigos, a artista Orlan, cuja manipulação corporal traz questões éticas, estéticas e filosóficas parece muito difícil, merecendo ficar mesmo no plano da bizarrice. Ainda que muitos digam por aí que ela é um dos nomes mais interessantes da arte do século XX.

Sei lá, mil coisas…

VERBO 2008

VERBO 2008

A VERBO, evento de performance que ocorre anualmente na galeria Vermelho, chega à sua quarta edição apresentando 51 projetos que refletem o campo de tensão representado pela performance na arte atual. São fotos, instalações, performances, vídeos e stills de vídeo que apontam para a tentativa do artista de colocar em perspectiva um diálogo com o observador através do  seu corpo. Elementos carnais da iconografia tradicional serão apresentados em contraposição à assepsia do cubo branco em trabalhos que sugerem a dependência, o cuidado, a necessidade de compromisso e de dominação.

A seleção de trabalhos aponta também para o poder associado ao sagrado, ao profano, às rotinas do cotidiano e à dor infligida pelo homem a si mesmo e aos outros. Atos de violência, rotinas diárias de alimentação, respiração, reprodução e sexualidade que, por conta da natureza civilizada do homem não aparecem em público, especialmente em situações onde a tradição limita a liberdade individual.

Além disso, a VERBO 08 apresenta também ações que abordam questões relacionadas ao estatuto da performance na arte atual, como, sua inserção institucional e no mercado de arte; sua aproximação com outras mídias, e, por último, sua atual eficácia como instrumento crítico e de resistência ao sistema vigente.

Para discutir tais questões, o Centro Cultural São Paulo em parceria com a Vermelho, criaram o seminário Verbo Conjugado que ocorrerá paralelamente às ações na galeria. Dividido em quatro dias, o seminário discutirá temas como, Performance e Documentação, Performance e Reencenação, Performance e Resistência Cultural, entre outros, e conta com a participação de artistas e intelectuais de várias áreas. Simultaneamente, o Mariantonia – Centro Universitário da USP, programou o curso Performance em Expansão que pretende apresentar uma análise da performance a partir de suas origens, abordando suas várias faces e articulações com outras práticas artísticas (mais informações abaixo).

Relação de artistas:: Amilcar Packer (SP), Ana Maria Tavares (SP), André Komatsu (SP), Cadu (RJ), Carla Zaccagnini (SP), Carlos Monroy (Bogotá, Colômbia), Cris Bierrenbach (SP), Farias & Mettler (Brasil, Suíça), 3D (SP), Daniel Fagundes (SP), Daniel Murgel (RJ), Fabiano Marques (SP), FrenchMottershead (Londres, Inglaterra), Glaucia Mayer (RJ), Grupo Bijari (SP), Síssi Fonseca e Hugo Fortes (SP), Jaime Lauriano (SP), Juliana Notari (Recife), Laerte Ramos (SP), Leandro Lima e Gisela Motta (SP), Leya Mira Brander (SP), Lia Chaia (SP), Luiz Alfredo Guedes (SP), Manuela Marques (Paris, França), Marcelo Cidade (SP), Marcio Banfi (SP), Marco Paulo Rolla (Belo Horizonte), Massimo Grimaldi e Sabina Grasso (Milão, Itália), Maurício Ianês (SP), Michel Groisman (RJ), Nicolás Robbio (SP), OPÁVIVARA + Grupo UM (RJ), Rafael Assef (SP), Renato Hofer (SP), Ricardo Carioba (SP), Rosângela Rennó (RJ), Rose Akras (Amsterdã, Holanda), SUPERFLEX (Dinamarca), Thelma Bonavita e Cristian Duarte (SP), Tiago Judas (SP),Tiago Primo (RJ), Yiftah Peled (Florianópolis) e Yuri Firmeza (Belo Horizonte).

EXPOSIÇÃO:: VERBO 2008
PERFORMANCES:: DE 15 DE JULHO A 18 DE JULHO DE 2008, DAS 20 ÀS 22H30, 19 DE JULHO DAS 11 ÀS 20H
EXPOSIÇÃO:: DE 15 DE JULHO A 09 DE AGOSTO DE 2008. Terças a sextas das 10 às 19 e sábados das 11 às 17h.
ENTRADA GRATUITA
HORÁRIOS E INFORMAÇÕES::
www.agenciaverbo.com e www.galeriavermelho.com.br

VERMELHO
RUA MINAS GERAIS, 350 – 01244010 – SÃO PAULO – TEL.: 11 3257 2033