Seminário Depois do Futuro – Museu de Arte do Rio – 12 e 13 de Maio

Futuro logo MAR OK

Seminário “Depois do Futuro: Ruínas e Reinvenções da Modernidade nas Artes Contemporâneas”

O evento reúne professores de distintas universidades do Rio de Janeiro, com atuações dentro e fora da academia, para refletir como as artes contemporâneas e as teorias culturais e estéticas que lhe cercam examinam a noção de futuro hoje. Longe se pretender um exercício de futurologia o seminário traz olhares sobre o presente e especula possibilidades de vida e arte em mundo em que dá sinais de colpaso
ecológico, político e social.

Local: MAR – Museu de Arte do Rio/ Escola do Olhar
Dias 12 e 13 de Maio de 2015
Horário: 10h-16h
Entrada Gratuita.
Lotação: 60 pessoas

Programação

12/05
10h Abertura – Daniela Labra – apresentação do projeto de pesquisa
“Depois do Futuro: Ruínas e reinvenções da modernidade nas
artes contemporâneas”.
10:20 Kátia Maciel (UFRJ)
11:00 Alessandra Vannucci (UFRJ/PUC-Rio)
11:40 Considerações finais da manhã
12-14h Intervalo
14:00 Paula Sibilia (UFF)
14:40 Ieda Tucherman (UFRJ)
15:30 Considerações finais
16:00 Encerramento do dia

13/05
10h Abertura – Daniela Labra
10:20 Frederico Coelho (PUC-Rio)
11:00 Guilherme Vergara (UFF)
11:40 Considerações finais da manhã
12-14h Intervalo
14:00 Marisa Flórido (UERJ)
14:40 Guto Nóbrega (UFRJ)
15:30 Considerações finais
16:00 Encerramento

O seminário se realiza dentro do marco da pesquisa pós-doutoral de mesmo título desenvolvida junto ao PPGCOM/UFRJ e o Núcleo N-Imagem,com o apoio da CAPES/Cnpq.

Abrindo 2015 com Acid House Old School

Começamos o ano com um trabalho da artista espanhola Irene de Andrés, nascida em Ibiza.É uma instalação sobre comportamento, memória e ruínas da contemporaneidade que usa como objeto os escombros de um complexo de lazer noturno em Ibiza, abandonado nos anos 1970, que foi cenário de muitas raves clandestinas nos anos 80-90. Este é o projeto Festival Club, que consiste em uma videoinstalação junto a fotografías do Festival Club e documentação da imprensa da época sobre a cena noturna e o fechamento da casa. O filme tem a participação do DJ Alfredo Fiorito, um dos protagonistas da cena da ilha na décda de oitenta. O áudio foi gravado diretamente do local.
A obra foi contemplada como prêmio espanhol Generaciones 2013.

[vimeo width=”360″ height=”300″]http://vimeo.com/83246622[/vimeo]

Para acompanhar a obra de Irene, posto um link com um relato e fotos históricas do primeiro club massivo de Acid House de Londres, o Spectrum, que pulou de um público de 124 pessoas, na sua primeira noite de clubbing, para 2500 em apenas 5 semanas. Isso em 1988.  Hoje o house e o mundo das inovações e descobertas estéticas segue seu fluxo se alimentando do passado e reinventando uma idéia de futuro…

scan-110710018_2-1

Fotografia: Chris Abbot

E encerrando o pacote, segue um set de Balearic House + Acid, ao vivo do Club Spectrum, em 1988.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=HYTWHPlN3u8[/youtube]

Estória da estética contemporânea.

Blog do projeto Travessias

A exposição Travessias – Arte Contemporânea na Maré, em seu terceiro ano de atividades, consolidou-se como um projeto de reflexão e discussão sobre a arte contemporânea e as transformações do espaço urbano na atualidade. Travessias 3 – Arte Contemporânea na Maré fica aberta ao público até o dia 16 de novembro no Galpão Bela Maré, localizado na Favela Nova Holanda, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Com organização do artista plástico carioca Daniel Senise, a Travessias 3 reúne trabalhos inéditos e de acervo dos artistas Barrão, Dora Longo Bahia, Sandra Kogut, Mauro Restiffe, Jonathas de Andrade, Cao Guimarães, Luiz Zerbini e dos fotógrafos do Imagens do Povo, programa realizado pelo Observatório de Favelas.“ Partimos do nome do projeto, Travessias, que sugere integração, para convidar artistas cujas obras têm a possibilidade de criar relações com o local onde serão expostas.

Desde sua primeira edição o Travessias vem experimentando e aprimorando metodologias de aproximação e comunicação pelas artes visuais, em formatos de exposições diferentes uns dos outros. A sua proposta é única no panorama da arte do Brasil, sendo um laboratório estético, afetivo e sensorial aberto ao público mais diverso. Travessias acontece em uma zona de exclusão social e extrema violência urbana, e sua meta fundamental é construir olhares sensíveis e saberes múltiplos através de inciativas artísticas contemporâneas.

Eduardo-Magalhães-I-Hate-Flash-26
Visão geral da exposição com projeção do núcleo de fotógrafos da Maré, Imagens do Povo. Imagem: Eduardo Magalhâes.

http://2014.travessias.org.br/blog/

Arte x Gênero x Política x Moral religiosa

… Na arte, preceitos religiosos introjetados na sociedade como dogmas muitas vezes são questionados por artistas que acreditam que, em pleno século XXI é mais saudável defender a tolerância e as liberdades individuais do que submeter-se a regras morais impostas por religiões. Na atualidade a religião volta a incitar guerras, ódios, perseguição às minorias étnicas e repressão às mulheres – tal como na Idade Média. Artistas interessados em discutir questões de gênero são os que mais apontam para os problemas da ditadura moral das religiões, mas não só. A seguir, algumas imagens de obras que fazem refletir sobre o tema.

Leon Ferrari. La civilización occidental y cristiana, 1965.
Leon Ferrari. La civilización occidental y cristiana, 1965.
Leon Ferrari. La civilización occidental y cristiana, 1965.
Leon Ferrari. La civilización occidental y cristiana, 1965.

Women Artist 003
Mary Beth Edelson. Last Supper. 1972

Christa_1975
Edwina Sandys. Christa, 1975

Shirin-Neshat-Rebellious-Silence
Shirin Neshat. Rebellious Silence, 1994

marcia-x-_-desenhando-com-terc3a7os
Marcia X. Desenhando com terços. Performance e Instalação, Anos 1990.

220px-Piss_Christ_by_Serrano_Andres_(1987)
Andres Serrano. Piss Christ, 1987

Orlan. Santa Orlan. Déc. de 1990.
Orlan. Santa Orlan. Déc. de 1990.
Orlan. Santa Orlan. Déc. de 1990.
Orlan. Santa Orlan. Déc. de 1990.

¿De qué hablamos cuando hablamos de resistencia?

3nós3 1979 Ensacamento de Cabeças de Monumentos 1979 SP
3nós3, Ensacamento de Cabeças de Monumentos, São Paulo, 1979.

¿De qué hablamos cuando hablamos de resistencia? é um ensaio de Néstor Garcia Canclini onde o autor analisa aspectos da recepção da arte contemporânea nas instituições culturais e na sociedade, ao mesmo tempo em que questiona certa inconsistência no modo como a noção de resistência é defendida por artistas e outros profissionais do sistema artístico e cultural. Canclini observa que enquanto noções como Capitalismo, Pós-colonialismo e Globalização são debatidos e confrontados com argumentos sólidos, a idéia de resistência surge em contraposição como algo quase mágico e heróico, sendo parcamente analisada.

Diante desse quadro, o autor discute como a arte pode ser politicamente eficaz na sociedade, e faz um contraponto à visão de arte e política de Jacques Ranciére.
Texto em espanhol.

Disponível em  http://nestorgarciacanclini.net

It seems Brazil but is just Art Basel.

Art copies Life. A non-authorized party at the cozy Favela Café inside the Art Basel Fair was forced to close by the police. This fact remember us the real riots that occurs inside the favelas in Brazil each week or month since ages…

The Favela Café project was signed by artist Tadashi Kawamata and architect Christophe Scheidegger. On a Friday night, Swiss police fired rubber bullets and teargas at an artist-activist group who took over Japanese artist kind of politically uncomfortable work at Art Basel, a fully working eatery in the guise of Brasil’s ad-hoc urban areas. Art Basel had allowed the group to protest for a limited time.

A brief reflection on this let us note that the political stress of the work is just a cute lecture of Favela’s aesthetic which delight the western art world without no shame. As an art piece for a glamorous event like this one, it critique is absolutely harmless. Meanwhile when was activated as a place for non allowed parties inside the commercial big show, the project finally gains meaning.

+ sobre
http://esferapublica.org
http://contraindicaciones.net
http://salonkritik.net

Gender, Art, Civil Rights: Brazil on a contraflow! / Gênero, Arte, Direitos Civis: Brasil na contramão!

28_GC_SLO_Varl51

Petra Varl: What happened with Zvezda and Odeon?, 2009.

A FAVOR DAS MANIFESTAÇÕES CONTRA A ELEIÇÃO E POSSE DO DEPUTADO E PASTOR MARCOS FELICIANO NA COMISSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NO CONGRESSO, O ARTESQUEMA POSTARÁ IMAGENS DE TRABALHOS DE ARTE QUE AJUDEM A CONTESTAR AS IDÉIAS RACISTAS, HOMOFÓBICAS  E FUNDAMENTALISTAS DO PARLAMENTAR E SEU PARTIDO. O BRASIL ESTÁ NA MODA MUNDO AFORA, MAS PRECISAMOS DENUNCIAR O FANATISMO RELIGIOSO SE ENTRANHANDO NA VIDA CIVIL. FORA DEPUTADO FELICIANO, PELA DIVERSIDADE DE CREDO, DE RAÇA E SEXUAL.

Despite all you have been listening about the prodigy of Brazil, the country is living a moment when religious fanatism is getting power. Last week, Brazil’s Chamber of Deputies elected an evangelical pastor as president of its Human Rights and Minorities Commission. He is Deputy Marco Feliciano, a fanatic spiritual lider, who has declared in the past two years that the misery in Africa was caused by Noe`s Damnation, and AIDS is a gay cancer… among other stupidities based on the Holy Bible.
So, artesquema will published images of gender art for the next days, in support for the impeachment of Mr Feliciano off his public situation. Bad education in Brazil is the cause of many freak mistakes in politics, like this one. Get out Mr. Feliciano! Artesquema will post some pics of gender art and colleagues just to shake Fanaticism a little bit.

Gender, Art, Civil Rights: Brazil on a contraflow! / Gênero, Arte, Direitos Civis: Brasil na contramão!

leonilson obras19
José Leonilson. Jogos Perigosos (Dangerous Games), 1990
acrílica sobre tela
Coleção Luisa Analjoni Strina. imagem: Eduardo Brandão

Caparazón 2010
Regina José Galindo. “Caparazón”.2010
“El miedo en su forma sonora, en cada estallido, en cada golpe. Mi cuerpo desnudo permanece en posición fetal dentro de un domo blindada. Un grupo de individuos, armados con palos, golpea frenéticamente el domo hasta destrozar sus propias armas”.
(Corpus. Arte in Azione. MADRE, Museo D’Arte Contemporanea Donna Regina. Nápoles, Italia. 2010)

Morimura_Yasumasa-Portrait_Futago

Yasumasa Morimura. Portrait (Futago). Fotografia. 1988

Natalia LL. Consumer Art. 1974

Rock My Religion / Dan Graham from issole on Vimeo.

draft_lens2368213module13632035photo_1232897442gg-1997
Guerrilla Girls, 1997

robert_mapplethorpe_13
Robert Mapplethorpe. Anos 1980.

Survival Kit Festival/Umeå/Sweden

Survival Kit/Umeå convida artistas de todas as quebradas do mundo para se inscreverem no Survival Kit Festival, que irá acontecer na cidade de Umea e seus arredores, de 20 de Setembro a 19 de Outubro de 2014. Procura-se artistas cujo trabalho responda às questões da “sobrevivência” em todas as suas distintas percepções. São bem-vindas perspectivas novas ou revisadas; e visões, questões, soluções inovadoras e outras, que sejam provocativas e engajadas, utópicas e progressistas.

http://www.survivalkitfestival.se/

> > >
Survival Kit/Umeå invites artists from all corners of the world to apply for the Survival Kit Festival which will take place in Umeå city and its surroundings from 20th September to 19th October, 2014. A jury consisting of representatives of the hosting organisations will select approximately 30 artists.

THEMES and DIRECTIVES
Humanity faces huge difficulties; our future seems to be less predictable and more complex than ever. The climate is changing, ecological, economical and societal systems are on the verge of collapse. Where are we heading? What do we need? What might happen? What should happen?

We are searching for artists whose work attends to the question of survival in all its different perceptions. We welcome new or renewed perspectives; provocative and engaging, utopian and progressive, visions, questions, innovative solutions and more. The works we are searching for considers the world at large, and/or the local circumstances.
They might be collaborative or individual, modest proposals or grand statements.

You may apply with a previous work or with something completely new, which can be produced on site and in any media.
Details about practicalities such as exhibition venues, is onstantly updated and made available at:

www.survivalkitfestival.se