This is not a Love Song – Mark Leckey ¨Fiorucci¨

Está em cartaz no Centro La Virreina em Barcelona, a exposição ¨This is not a Love Song¨, com curadoria de F. Javier Panera, cujo objetivo é traçar um paralelo entre a produção de video arte e a música Pop, desde os anos 1960 até hoje. A mostra oferece um caminho que começa com uma instalação de Andy Warhol com imagens de Velvet Underground, passando por obras seminais de video arte de Nam June Paik, Yayoi Kusama e Vito Acconci, entre outros, até chegar a artistas como AVAF, Mark Leckey e Cristian Marclay. O gran finale, no entanto, se dá com uma sala cheia de monitores exibindo videoclipes de artistas tão pop como Rihanna. O trajeto é muito rico, com poucos trabalhos que não sejam de fato interessantes, sejam como proposta estética ou registro histórico.

Um dos trabalhos que chama a atenção por ser ao mesmo tempo registro de época e experimentação de linguagem visual, é o video ¨Fiorucci Made me Hardcore¨ (1999), do inglês Mark Leckey. A obra faz uma referência clara à narrativa construída por Dan Graham em ¨Rock My Religion¨. Porém, enquanto este tenta contar uma espécie de história social do Rock and Roll em 50 minutos, o filme de Leckey tem apenas 14 minutos e narra de modo particular o desenrolar da cena underground de clubes em Londres, entre os anos 1970 e 90, cujo ápice foram as raves. O vídeo impulsionou a trajetória de Leckey até levá-lo ao Turner Prize, alguns anos depois, e aqui segue o link:

Brazil de gringo: Bob Dylan troca microfone por tela e paga mico

A pintura abaixo não é uma original da feira de domingo da Praça.  Tal obra de arte é apenas um daqueles fenômenos de egolatria incentivados pelo marketing e o sistema de celebridades internacional.

Esta pintura, ruim à beça, é de autoria do cantor Bob Dylan, e integra a série The Brazil Series, exibida com pompa, circunstância e texto “crítico” no Statens Museum for Kunst, em Copenhagen. Sinistro.

Bob Dylan`s painting is a ridiculous pastiche of brazilian popular artworks. He could be painting at home for his own purposes for the rest of his life. Why he didn’t?

http://www.smk.dk/en/explore-the-art/exhibitions/coming-exhibitions/bob-dylan-the-brazil-series/

Só me acorde depois que o carnaval passar…

Arte contemporânea e Carnaval nem sempre combinam. Enquanto uma requer muito pensamento, o outro é só ação e devaneio dionisíaco… Assim, entraremos em recesso até que a Banda passe, mas no final da semana estamos aí de novo, levantando das cinzas. E vamos prá festa por que brasileiro adora isso, né?!

Deixo a dica de música de carnaval sem Axé mas com levada quase. É meio breguinha, mas divertida:

MIXTAPE PIZZA SAMBA – MASHUPS DE CARNAVAL PARA AGEMDA
André Paste, Brutal Redneck, Faroff, João Brasil e Lucio K, todos na capinha do Sassá aka Brutal Redneck, comendo a pizza de pedacinhos de disco do Moreira

E se você está achando que essa foto é na bagaceira Carioca, se enganou… Exportamos know-how há muito tempo. Isso é em Notting Hill, Londres, no carnaval de 2008.