RES.ò1 Residência na Itália para artistas, curadores e críticos

Esta mensagem é de interesse para quem mora no Brasil, Egypto e Turquia. A inscrição é em lingua inglesa.

Próximas inscrições para residências RESÓ no Cairo (Townhouse Galery), Istanbul (Platform Garanti) e no Piemonte (Cittadellate) serão em novembro 2010 com residências em 2011. Em 2011 o CAPACETE receberá artistas destas regiões.

RESÒ
Cittadellarte (Piemonte)
Platform Garanti (Istambul)
The Townhouse Gallery (Cairo)
Capacete entretenimentos (Rio de Janeiro/São Paulo)

Convidam para inscrição
Residência na Italia / Cittadellarte
Aberto para artistas, curadores e críticos

RES.ò1

RESÒ <http://www.reso-network.net/>  is the new international residency exchange network for art residencies and educational programs and is based in Italy’s Piedmont region. It is conceived as a 3-year project involving three institutions in Italy and three others based respectively in Turkey, Egypt and Brazil.

RESÒ’s goal is to foster new relationships, cultural exchange and creative production, as well as linking artists with the leading contemporary arts institutions in Piedmont, Istanbul, Cairo and Rio de Janeiro/São Paulo.

RESÒ is dedicated to supporting its resident artists in the creation of new works of art through 6-9 week long research-residencies. All of the artists’ expenses are covered, including airfare. They will be introduced to the local art scene through a program of meetings, studio visits and talks. The selected artists are expected to hold public presentations of their work, and the residency research project towards the end of their residency.

We are pleased to hereby announce the call for applications for our first RES.ò1 residency at Cittadellarte <http://www.cittadellarte.it/> . This is the first call; a second call will be issued in October/November 2010 for residencies with the remaining partner institutions.

Selected residents are chosen by committees in each host institution. The application guidelines are outlined below (document attached)

The RES.ò1 residency at Cittadelarte will begin on the 1st of September 2010 and will last for the duration of 6-9 weeks.
You are eligible to apply if you are based in Egypt, Turkey or Brazil, regardless of nationality.

Deadline of applications: 02 august 2010

A respeito do Terror: a exposição da RAF

Felix Ensslin, filho de Gudrun Ensslin, uma das componentes da RAF – organização terrorista de esquerda surgida em Berlim Ocidental no final dos anos 1960, também associada ao nome de Baader-Meinhoff – é co-curador de uma incômoda exposição na Alemanha que convida artistas de 3 gerações diferentes a fazerem uma leitura crítica e estética de episódios do grupo, marcados pela violência e conteúdo ideológico.

Ao mesmo tempo em que incomoda, a mostra é uma idéia ousada , e por isso interessante, de que a arte pode servir a outros interesses que não apenas o mercadológico ou politicamente correto.

Felix Ensslin, foi abandonado aos 6 meses de idade pela mãe, que entrou na clandestinidade para co-fundar a RAF. O menino foi criado num ambiente familiar bruguês e tranquilo e agora, dedicado às artes, se envolveu neste projeto, mais para discutir este episódio da história recente alemã, do que para expurgar fantasmas pessoais.

Ao menos é o que parece.

Leia a matéria na íntegra no site da BBC

‘Terror’ art” challenges Germans

Só um lembrete em ano de eleição

“A política e o entretenimento nunca estiveram tão juntos como atualmente, e dificilmente irão se separar. Foi desse encontro que nasceu e se estruturou o ativismo político dos últimos 50 anos, também chamado de ativismo midiático.

Independente da causa em questão, grande parte da comunicação política contemporânea segue a linguagem do espetáculo, como forma de guerrilha. A fórmula serve e é aplicada tanto para fins sociais relevantes como para qualquer outra coisa sem cabimento, por movimentos diversos e até por instituições como os partidos”.

do site:  http://perspectivapolitica.com.br/tag/ativismo-politico/

Juventude pela política, onde anda você? Talvez a arte ainda possa ser uma ferramenta poderosa…

Por uma representação relevante das Artes Visuais no ministério da cultura

Repassando o chamado enviado por Paula Trope,  artista visual e representante da classe artística pelo Sudeste, na Câmara Setorial de Artes Visuais – órgão formado por conselheiros da sociedade civil para atuar junto ao MinC e no governo, pelos interesses de diversas àreas e setores da cultura.

++++++++++

Caros,

É com apreensão que recebemos a notícia da vacância na Direção do Centro de Artes Visuais da Funarte.  Estamos num momento crucial pela construção de políticas por questões caras à arte contemporânea, como a experimentação, a multiplicidade de meios, a transdisciplinaridade, ampliação de verbas e criação de programas, nossas demandas em perspectiva nacional. É importante que os artistas, pensadores e demais profissionais da área acompanhem de perto essa transição.

Para isso, artistas visuais e profissionais da área, reunidos no último 05/7 no Museu da República, Rio de Janeiro, elaboraram uma carta, apoiada e referendada pelo Colegiado Setorial de Artes Visuais, ao Ministro da Cultura Juca Ferreira e ao Presidente da Funarte, Sérgio Mamberti, solicitando participação ativa na indicação da Direção do CEAV, garantindo a interlocução da classe junto ao Governo Federal quanto aos desdobramentos das políticas culturais para as artes visuais.

É urgente a adesão de todos os artistas visuais e profissionais da área a essa mobilização, unindo-se no abaixo-assinado em anexo.

Ass.: Artistas e profissionais reunidos no Museu da República, apoiados e referendados pelo Colegiado Setorial de Artes Visuais, seguidos das demais adesões da classe.

Clique abaixo para entrar no link
Carta ao Ministro Juca


Cultura em Números

O Ministério da Cultura (MinC) lançou na semana passada
a segunda edição do estudo Cultura em Números,
originalmente publicado em 2008.

O levantamento traz os indicadores culturais
referentes à produção, oferta, valores de captação,
fundos, legislação e políticas de cultura.

Entre os setores analisados estão:
cinema, vídeo, música, teatro, dança, circo,
artes, design e moda, fotografia, patrimônio,
museus, cultura popular, biblioteca pública,
livraria, centro cultural, artesanato e meios de comunicação.

Os dados foram coletados entre os anos de 2003 e 200
pelo IBGE, IPEA, INEP, Ibope, e compilados pelo MinC entre 2007 e 2008.

Faça o download do estudo e confira os dados gerais e de cada Estado.

Baixe o PDF com os dados aqui: http://www.cenacine.com.br/wp-content/uploads/minc-cultura-em-numeros.pdf